Meigal: distribuidora de produtos alimentares despede e pressiona acordos desfavoráveis

Meigal: distribuidora de produtos alimentares despede e pressiona acordos desfavoráveis

18 de Maio, 2020 0

A Meigal, empresa de distribuição de produtos alimentares sedeada em Mangualde, segundo denúncias que recebemos, despediu trabalhadores nas várias delegações que tem no país. As denúncias relatam ainda que a administração da empresa pressionou trabalhadores a assinarem acordos muito desfavoráveis, tentando impor o pagamento de indemnizações de valor muito abaixo do que resultaria da simples aplicação da lei. Alguns trabalhadores recusaram-se a assinar o acordo, recebendo carta a manifestar a intenção de extinção do posto de trabalho – os relatos falam, pelo menos, em um chefe de vendas e um agente comercial em Mangualde e dois agentes comerciais em Grijó.

Este caso chegou à Autoridade para as Condições do Trabalho, que terá já feito uma inspeção à empresa. Segundo os relatos, no seguimento desta inspeção, os trabalhadores que se recusaram a assinar já foram readmitidos. O Bloco de Esquerda já questionou o Ministério do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social sobre esta situação.

A Meigal é especializada na distribuição de produtos alimentares frescos e congelados, com diversas delegações de Norte a Sul do país. A empresa pertence ao Grupo Lusiaves, que anunciou no ano passado investimentos de 100 milhões de euros em Mira e de 18 milhões de euros em Góis e Oleiros. Já este ano anunciou a compra de cerca de 12 hectares de terreno por 640 mil euros em Pombal. Parte dos muitos investimentos que o grupo tem anunciado têm sido parados devido a questões ambientais, não obtendo licenciamento para avançar. Recorde-se que vários administradores do grupo, entre os quais o seu fundador, foi acusado pelos crimes de branqueamento de capital e insolvência dolosa, devido ao esvaziamento do património de bens e equipamentos da empresa Avilafões, unidade de Queirã, em Vouzela, que integra o grupo, através de uma operação financeira que envolve o recurso a offshores.