IKEA despede centenas de precários em Paços de Ferreira

IKEA despede centenas de precários em Paços de Ferreira

19 de Maio, 2020 0

A IKEA Industry, empresa do grupo IKEA dedicada à produção de móveis, segundo denúncias que recebemos, está a despedir centenas trabalhadores e trabalhadoras com vínculos precários na sua unidade industrial em Paços de Ferreira. As denúncias relatam que a maioria dos funcionários com contrato de trabalho temporário a termo certo de 6 ou 12 meses estão já a ser dispensados ao atingir o prazo final dos respetivos contratos. E, tal como é também confirmado em notícia no jornal regional Imediato, relatam que o plano é não renovar e despedir todos os trabalhadores cujos contratos acabam neste período. Estes precários, que as denúncias apontam para ser à volta quatro centenas, trabalham para a IKEA através de intermediárias, nomeadamente as empresas de trabalho temporário Multitempo e Kelly Services. A administração recorreu entretanto ao novo “lay off simplificado” no final de abril.

Tal como aconteceu em muitas empresas ao longo das últimas semanas, sobretudo nas empresas de grande dimensão, a IKEA despede os trabalhadores a quem impôs vínculos precários, utilizando empresas intermediárias, ao mesmo tempo que recebe apoio público para enfrentar a crise e supostamente manter os postos de trabalho.

A IKEA, fundada em 1943, é um multinacional sueca do negócio do retalho de móveis e artigos para a casa. Está presente em Portugal desde 2004 e tem atualmente 5 lojas -Alfragide, Loures, Loulé, Matosinhos e Braga. A componente de produção industrial, denominada por IKEA Industry desde 2013, está presente em Paços de Ferreira desde 2007 e empregava, antes da decisão de despedir na sequência da crise sanitária, cerca de 1500 trabalhadores e trabalhadoras. No seu site, a IKEA revela que a operação em Portugal representou um volume de vendas de cerca de 500 milhões de euros durante o ano de 2019.