Narc Frutas: cooperativa de Alcobaça despede sucessivamente durante período experimental

Narc Frutas: cooperativa de Alcobaça despede sucessivamente durante período experimental

28 de Outubro, 2020 0

A administração da Narc, cooperativa de fruticultores em Alcobaça, segundo denúncias que recebemos, está a despedir trabalhadores precários durante o período experimental. Os relatos descrevem que são vários os trabalhadores que têm vindo a ser recrutados com contratos a prazo, com o objetivo de substituir funcionários do quadro que se encontram em baixa médica. Segundo as denúncias, quando a baixa termina e esses funcionários regressam ao trabalho, os precários são imediatamente despedidos invocando o período experimental. Em muitos casos, apesar dos contratos a prazo terem uma duração de vários meses, estes trabalhadores são descartados passados apenas alguns dias – em alguns casos, menos de uma semana depois de iniciarem funções. Ou seja, a administração assume um compromisso pelo tempo que está contratado e leva os trabalhadores a aceitar condições que não se verificam, usando o período experimental como uma forma de descartar estas pessoas no momento que considera mais oportuno, fugindo ao dever de pagar as respetivas compensações por caducidade do contrato.

As denúncias relatam ainda omissões na folha salarial e nos acertos de contas quando os trabalhadores são despedidos, nomeadamente com a falta de pagamento dos subsídios de alimentação. Está também a ser imposta uma carga horária superior às 8 horas diárias previstas, não sendo feito o respetivo pagamento do trabalho extraordinário que é realizado.

A Narc Frutas é uma cooperativa de fruticultores da região de Alcobaça fundada em 1998, que armazena em instalações próprias e comercializa a produção que resulta de uma área de produção de 220 ha.