Tyco inicia nova vaga de despedimentos de precários em Évora, através da subcontratada I9 Componentes

Tyco inicia nova vaga de despedimentos de precários em Évora, através da subcontratada I9 Componentes

16 de Junho, 2020 0

Os despedimentos de trabalhadores precários continuam na Tyco Electronics Connectivity, em Évora. A I9 Componentes, empresa subcontratada pela Tyco para assegurar uma das linhas de produção, em unidade própria, segundo denúncias que recebemos, já despediu cerca de 100 trabalhadores. Segundo as denúncias, há ainda uma outra parte dos trabalhadores a quem a administração já indicou que “gozem” os dias de férias até ao fim do contrato, sendo um forte sinal de que pretende não renovar também esses contratos – sendo que estas situações ocorrem sem, segundo os relatos, sem respeitar o período de aviso prévio previsto na lei.

A justificação dada pela empresa subcontratada, com quem estes trabalhadores têm contrato de trabalho, é que estes despedimentos, na sua maioria, resultam da decisão da Tyco prescindir dos serviços da I9 Componentes.

Com esta conduta, em que a Tyco se esconde atrás da subcontratatação de empresas prestadoras de serviços, muitos trabalhadores continuam sem saber se têm ou não trabalho quando voltam das supostas férias. São pessoas que ficaram com pouca proteção e sem rendimento, de um dia para o outro, revelando a irresponsabilidade patronal da Tyco, mais uma grande empresa que não hesita, na grave situação que vivemos, em servir-se da subcontratação e da precariedade para se descartar das suas obrigações.

Recordamos que a Tyco foi uma das empresas que, logo nos primeiros momentos da crise sanitária, optou pelo caminho do abuso patronal e descartou trabalhadores a quem tinha imposto uma situação precária. Como aqui divulgámos, ainda em março, a administração da empresa impôs férias forçadas com a ameaça a lay off e despediu precários na unidade de Évora.

A Tyco é uma multinacional norte-americana que, na sua unidade de Évora, produz componentes electrónicos para a indústria automóvel.

[actualização a 22/06/2020: com base na comunicação de um diretor da I9 Componentes e da verificação junto dos denunciantes, foi alterado o texto para clarificar que o serviço subcontratado pela Tyco à I9 Componentes é realizado em instalações próprias da empresa subcontratada (e não nas instalações da Tyco); e que o número total de trabalhadores despedidos é de cerca de 100 (e não de 50 a 60)]