Grupo Trofa Saúde descontou dias de férias e tempo do banco de horas no hospital na Amadora

Grupo Trofa Saúde descontou dias de férias e tempo do banco de horas no hospital na Amadora

22 de Junho, 2020 0

A administração do Grupo Trofa Saúde, segundo denúncias que recebemos, retirou dias de férias e descontou tempo do banco de horas aos trabalhadores da sua unidade hospitalar na Amadora, na sequência da decisão de alterar o funcionamento e o atendimento logo nos primeiros dias de crise sanitária. Os trabalhadores do hospital do grupo na Amadora, localizado no Centro Comercial UBBO, receberam uma comunicação das chefias entre os dias 18 e 19 de março, em lhes foi transmitido que, por causa da pandemia, a unidade iria fechar por tempo indeterminado e deveriam ficar em casa. Na realidade, segundo os relatos, foram assegurados serviços mínimos de atendimento, tendo alguns funcionários permanecido em funções para o efeito.

Alguns dias depois, os funcionários verificaram na sua plataforma de gestão de horários que lhes tinham sido retiradas horas que tinham em banco de horas, assim como dias de férias, correspondentes a esses dias em que a administração decidiu diminuir o nível de atendimento. Os relatos descrevem a existência de férias forçadas até já não haver mais dias de férias para gozar, em que os funcionários só voltaram ao trabalho após o direito a férias ter sido integralmente retirado de forma unilateral. As denúncias descrevem, além do mais, um ambiente de trabalho hostil, com uma pressão permanente e sob ameaça de não renovação dos contratos de trabalho precários.

A situação relatada corresponde a uma clara decisão da administração em passar para os trabalhadores a factura da sua decisão de gestão. O mesmo aconteceu em várias unidades de saúde privada durante o difícil contexto da pandemia. São vários os casos em que os grupos económicos do negócio da saúde privada pensaram apenas nos seus lucros e optaram friamente por diminuir a resposta sempre que isso não representou um oportunidade de aumentar receitas – o Grupo Trofa Saúde encerrou mesmo a sua unidade em Famalicão em plena crise sanitária.

Recordamos que o Grupo Trofa Saúde repetiu atropelos aos direitos laborais na gestão da pandemia, ao longo dos últimos meses. A imposição de férias forçadas é um padrão em várias unidades do grupo: a funcionários em teletrabalho na unidade de Gaia; ou sob ameaça de cortes salariais no contexto da decisão de encerrar a unidade de Famalicão.